• rio-salvador-slider

  • salvador-aracaju-slider

  • costa-do-dende-slider

Acupuntura

Escrito por Jason Dias Silva on . Postado em Saúde

A acupuntura ou acupunctura (do latim acus – agulha e punctura – colocação[1]) é um ramo da medicina tradicional chinesa e, de acordo com a nova terminologia da OMS – Organização Mundial da Saúde, um método de tratamento complementar. Foi também declarado Patrimônio Cultural Intangível da Humanidade pela United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization (Unesco) em 19 de novembro de 2010.
O tratamento acupunterápico consiste no diagnóstico (igualmente baseado em ensinamentos clássicos da Medicina Tradicional Chinesa) e na aplicação de agulhas em pontos definidos do corpo, chamados de “Pontos de Acupuntura” ou “Acupontos” que se distribuem principalmente sobre linhas chamadas “meridianos chineses” e “canais”, para obter diferentes efeitos terapêuticos conforme o caso tratado. Também são utilizadas outras técnicas alternativa ou complementarmente, sendo as mais conhecidas a moxabustão (aplicação de calor sobre os acupontos ou meridianos), a auriculoterapia e, mais recentemente, a eletroacupuntura.
A estreita relação entre o uso das agulhas e da moxa, na acupuntura, fica evidente na tradução literal da expressão que, em chinês, designa acupuntura (Zhen Jiú), sendo Zhen agulha e Jiú fogo. O leque de opções do acupunturista, entretanto, costuma ser bem mais amplo, podendo-se estimular os acupontos e meridianos com os dedos (do in), moedas, pentes de osso ou de jade (gua sha), ventosas (ventosaterapia), massagens (tui na) e outras técnicas, como por exemplo a sangria. A acupuntura chinesa, por seu histórico milenar, acabou por desenvolver escolas específicas em países próximos da China, dando origem ao shiatsu no Japão e o coreo (espécie de acupuntura usando as mãos como microsistema) na Coréia. A auriculoterapia foi ainda mais longe, sendo uma antiga técnica chinesa que viu nascer uma escola com consideráveis diferenças, porém integralmente tradicional, em um país europeu (a França).
Com as tecnologias modernas a acupuntura vem agregando recursos, como a eletricidade (eletroacupuntura, ryodoraku e moxa elétrica), agulhas mais seguras e práticas, cristais stiper (“Stimulation and Permanency” – Estimulação Permanente), esferas banhadas a ouro, prata, de quartzo e de vidro, ventosas de material plástico ou acrílico com válvulas de pressão, ventosas de borracha, porém sempre observando os mesmos princípios da Medicina Tradicional Chinesa.
É fundamental compreender que, apesar do uso de recursos tecnológicos atuais, a acupuntura que se realiza hoje é exatamente a mesma que se realizava nos primórdios da civilização chinesa, utilizando um raciocínio absolutamente estranho à medicina ocidental e sem qualquer preocupação ou influência relativa à existência ou não de explicação científica dos fenômenos verificados. Os mapas de meridianos ultrapassaram milênios chegando quase intocados aos dias atuais; o raciocínio que se desenvolve na verificação e tratamento dos problemas práticos apresentados nos consultórios é baseado em conceitos que soam estranhos aos ocidentais, como os cinco elementos, o tao (equilíbrio entre yin e yang), o fluxo de chi (a grosso modo traduzido como energia vital) e xué (a grosso modo traduzido como sangue), zang (traduzido como órgão por inexistência de palavra adequada) e fu (literalmente oco, mas geralmente traduzido como víscera).
Acupuntura e fisioterapia corresponde à aplicação da acupuntura aos problemas de saúde que são objeto da fisioterapia enquanto técnica e teorias específicas, e não apenas uma área de atuação profissional restrita aos especialistas desse saber. O termo Fisioterapia vem das palavras gregas: “Physis”, que significa “Natureza” e “Therapeia”, que quer dizer “Tratamento”, pode ser definida em sentido amplo, a ciência que estuda o movimento humano e que utiliza recursos físicos no tratamento e cura. Diversas técnicas da medicina tradicional chinesa, onde se destaca a acupuntura, tem sido utilizadas por fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. Inclusive é uma prática reconhecida como especialização dessa profissão pelo COFITO (Conselho Federal de Fisioterapia e Terapias Ocupacionais) através da Resolução COFFITO N° 60, de 29 de outubro de 1985. Observe porém que nem só a acupuntura e seus princípios teóricos são utilizados por esses profissionais.
Fisioterapia num sentido literal etimológico como terapia com meios físicos. Em Portugal e no Brasil antigo dos séculos XII ao XVIII os médicos eram chamados Físicos ou licenciados quando possuíam diploma ou licença estudando nas escolas médicas (Coimbra e Salamanca na Península Ibérica) distinguindo-se dos Doutores defendiam teses (Conclusões Magnas) e dos Cirurgiões-barbeiros. em inglês ainda persiste o termo “physician”.
No Brasil o Conselho Federal de Educação fixou as diretrizes dos cursos de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, incluindo dentre as competências do fisioterapeuta a restauração da integridade de órgãos sistema funções desde a elaboração do diagnóstico cinético e funcional, eleição ee execução dos procedimentos fisioterapêuticos pertinentes cada situação, bem como realizar consultas, avaliações e reavaliações do paciente.
Fisioterapia & acupuntura

Vale a ressalva de que a acupuntura no Brasil iniciou-se formalmente por iniciativa de um fisioterapeuta Friedrich Johann Spaeth natural Luxemburgo que após a sua formação nessa arte na Alemanha, em 1958 cria a Sociedade Brasileira de Acupuntura e Medicina Oriental e um curso de formação. Contudo enquanto especialidade profissional só veio a ser regulamentada pelo COFITO em 1988 como vimos. De acordo com esse Conselho Profissional o fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional poderão aplicar, complementarmente, os princípios, métodos e técnicas da acupuntura desde que apresente, ao respectivo CREFITO, título, ou certificado de conclusão de curso específico patrocinado por entidade de acupuntura de reconhecida idoneidade científica, ou por universidade.
A aplicação da acupuntura e outras técnicas da medicina tradicional chinesa por profissional de fisioterapia poderia se limitar ao seu objeto de trabalho: a terapia e reabilitação dos parcialmente inválidos ou portadores de uma “diferença incômoda” (defeitos musculo esqueléticos congênitos) como definido no início da delimitação de sua atuação profissional. Contudo sabe-se que posteriormente, segundo Rebelatto e Botomé, 1987, esse objeto de atuação foi substituído por restaurar, desenvolver e conservar a “capacidade física” do paciente (no Brasil o D.L. 938/69) limitando-se sua atuação profissional aos meios físicos que emprega para tal.
É notável a semelhança do objeto dessa profissão “capacidade física’ com os objetivos da acupuntura, notável também a utilização de meios físicos como estímulo, calor, massagem, os sistemas de exercícios físicos referidos e mais recentemente: frio, eletricidade, raio laser embora a perfuração com agulhas seja uma particularidade oriental e dos grupos indígenas que praticam escarificações. A relação que tanto a fisioterapia como a medicina tradicional chinesa desenvolveram sobre o efeito da temperatura, o frio e o calor na reabilitação e tratamento de doenças ainda está para ser desenvolvido, especialmente na prática da hidroterapia.
Observe-se também que na perspectiva da medicina tradicional chinesa a acupuntura está relacionada a utilização de fitoterápicos e prescrições dietéticas não previstas para atividade profissional dos fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais.

Tags:, , , ,

Trackback para seu site.

Jason Dias Silva

Vegetariano desde dezembro de 1986 e partidário da filosofia de ahimsa, (não violência), com uma trajetória de vida monástica disciplinar durante 12 anos entre os anos de 1988 a 2000.

Escreva um comentário

Contatos